A Dama e o Vagabundo - Ele é Um Vagabundo


Que cachorro!

É o tal!
Um malandro.
Sem emprego, sem patrão.
Que não tem domicílio,
Mas que mora aqui no meu coração.

Ele é mal.
Faz ciúme.
É um osso de roer.
Mas é o meu viralata,
E que faz virar tudo em prazer.

E quando ele vem perto de mim,
Me trata como um cachorro.
Como se eu fora a mulher
De um malandro lá do morro.

Ele é mal.
Vagabundo.
Sem coleira e sem patrão.
Mas, sendo mal, é o gostoso.
E ele mora aqui no meu coração.
Mora aqui no meu coração.
Mora aqui no meu coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Festa no Céu - Te Amo Demais

Cinderela - Canção dos Ratinhos

Festa no Céu - Canção do Perdão