O Corcunda de Notre Dame - Fogo do Inferno


{Frollo}
Beata Maria,
Eu sou um homem justo e bom,
E por isso posso me orgulhar.

Beata Maria,
Sei que é mais puro o meu dom
Do que a plebe fraca e tão vulgar.

Me diga, Maria,
Por que eu a vi dançar?
Por que seu olhar me incendiou?

Eu sinto e vejo
Os seus cabelos a brilhar,
Foi essa chama que me abrasou.

Qual fogo do inferno?
Tal fogo arde em mim.
Desejo eterno,
Do mal é o estopim.

Não é a mim
A quem culpar.
Foi a cigana,
A bruxa a me enfeitiçar.

Não foi por mim,
Que afinal,
Deus fez o homem bem mais fraco do que o mal.

Me salve, Maria,
Não deixe que ela lance mão
Do mal que me consome em seu ardor.

Destrua Esmeralda,
Que ela queime em aflição,
Ou seja meu, só meu, o seu amor.




{Guarda}
Ministro Frollo, a cigana fugiu.

{Frollo}
O que?

{Guarda}
Ela não está na Catedral, sumiu!

{Frollo}
Mas como? Deixe para lá! Saia idiota! Vou achá-la!
Vou achá-la nem que tenha que incendiar toda Paris!

Cigana do inferno
Você vai escolher
Meu beijo tão terno
Ou no inferno arder!

Piedade dela,
Piedade de mim,
Mas minha será ou vai arder!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Festa no Céu - Te Amo Demais

Cinderela - Canção dos Ratinhos

Festa no Céu - Canção do Perdão