A Bela e a Fera - Humano Outra Vez



{Lumiere}
Ho, ho!
Sossegue Orloge, deixe a natureza fazer a sua parte.

{Madame Samovar}
É evidente que há uma faísca entre eles.

{Orloge}
É claro! Mas não faz mal que peguem fogo. Bom, um pouco.
Bom! Mas devem se apaixonar hoje se queremos ser humanos outra vez.

{Lumiere}
Ah! Humano outra vez!

{Madame Samovar}
Humano outra vez!

{Lumiere}
É, pensem o que isso significa.

{Lumiere}
Com meu corpo outra vez,
Procurar outra vez,
Belas mademoiselle achar.
Ser humano outra vez,
Só humano outra vez,
Com meu charme eu vou abafar.
Desfilando outra vez,
Elegant outra vez.

{Madame Samovar} 
Os maridos vão se apavorar.

{Lumiere}
Ha!Ha! Vou num instante saltar,
Tenho que me arrumar.

{Todos}
Pois serei um humano outra vez.

{Todos}
Ser humano outra vez,
Só humano outra vez...
De utencílio não vou mais ficar.
Ninguém mais, aqui não, 
Vai viver na ilusão.

{Guarda Roupa}
Ah, cherry! Já cansei de sonhar.
Com o batom e o rouge,
Vou tirar a ferrugem.
Pela porta eu quero passar,
Meu cabelo soltar,
Trajes finos usar.
Mas que bom ser humano outra vez!

{Madame Samovar e Orloge}
Ser humano outra vez...
Só humano outra vez...
Muito grande será a emoção.

{Orloge}
Cordas já não vou ter.

{Lumiere}
Isso é o que eu quero ver.

{Orloge}
E assim não terei mais tensão.
Junto ao mar vou viver,
Um bom chá vou beber,
Recebendo uma boa atenção.
E não vou me queimar,
Dessas chamas eu vou me livrar.

{Todos}
Ser humano outra vez!
A casa vamos limpar,
As salas, iluminar.
Já se pode sentir
Que alguém vai destruir o feitiço.

Tudo aqui tem que brilhar,
Vassouras a trabalhar.
Se correr tudo bem,
Venceremos também o feitiço.

{Espanadores}
Abram janelas,
Tem que ventilar.

{Madame Samovar}
E então tudo vai pro seu lugar.

{Todos}
Até que enfim,
O pranto e o pesar
Já vão se acabar.
Ooooooohhh!

Ser humano outra vez,
Só humano outra vez...
Então livres poderemos ser,
Florescendo outra vez,
E nascendo outra vez,
E essa humilde alegria de viver.

Mesmo humano outra vez,
Festejando outra vez,
Isso tudo iremos poder.
Novos trajes vestir,
E acabar de fingir
E, afinal, ser humano outra vez.

{Bela}
E jamais houve história mais triste
do que a desta Julieta e o seu Romeu.

{Fera}
Ah! Pode ler outra vez?

{Bela}
Ou então por que você não lê pra mim?

{Fera}
Ah... ah... Está bem... Ah! Hum... Eu não sei!

{Bela}
Então você nunca aprendeu?

{Fera}
Aprendi, claro!
Um pouquinho! Mas é que já faz tantos anos.

{Bela}
Espera, eu te ajudo... aqui, leia isso.

{Fera}
Dois...

{Bela}
Duas...

{Fera}
Duas. Eu já sabia! Duas famílias...

{Todos}
E dançar outra vez,
Rodopiar outra vez,
Acabar com a insipidez.
Ser humano outra vez,
Só humano outra vez...
Valsaremos cantando um, dois, três.

Flutuando outra vez,
Deslizando outra vez,
No salão, na maior fluidez.
Vamos ser outra vez,
Como o mundo nos fez.
Até o amanhecer,
Quando o dia nascer,
Ser humano outra vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Festa no Céu - Te Amo Demais

Cinderela - Canção dos Ratinhos

Festa no Céu - Canção do Perdão